Feeds:
Posts
Comentários

Archive for julho \30\UTC 2008

200807302150.jpg

A Adobe lançou neste último dia 28 o tão aguardado upgrade do seu espetacular software de workflow para fotógrafos, o Photoshop Lightroom 2. Desde abril deste ano, quando a versão beta foi disponibilizada ao público, esta versão vem recebendo muitos feedbacks e sugestões, e realmente é inacreditável o que a Adobe conseguiu agregar para melhorar um software que já estava magnífico.

Dentre todos os novos recursos, um deles merece grande destaque, que por sinal eu não entendo a causa, motivo, razão ou circunstância pela qual a Adobe não o adicionou em sua primeira versão: o suporte a múltiplos monitores! Só utilizando para ver o quão útil este recurso se mostra, pois, como exemplo, é possível separar a janela principal em grid em somente um monitor e a visualização no outro poderá ser em loupe, por exemplo. É um espetáculo, a organização foi além do que esperava.

Além deste estupendo recurso, também foram adicionados:

1) Local adjustment brush: permite ajustes mais precisos através da escolha de áreas específicas na imagem para efetuar ajustes locais.

2) Gerenciamento de volumes: permite o livre gerenciamento e organização de suas fotos através de múltiplas unidades conectadas ao computador, sejam por rede, usb, firewire entre outros. Também permite trabalhar com previews de alta resolução, mesmo que as fotos originais não estejam disponíveis.

3) Arquitetura extensiva: é possível agora utilizar vários plug-ins para realizar tarefas complexas, como transferir imagens para seu fotolog e/ou laboratórios fotográficos entre muitas outras possibilidades.

4) Suporte a 64 bits: permite suporte a edição de imagens de tamanhos absurdos e maior capacidade de processamento.

Muitos outros recursos foram adicionados, e outros muitos melhorados, como o processamento em lotes, export de imagens com maior qualidade e nitidez, edição de fotos não-destrutiva, melhor e mais inteligente integração com o Photoshop CS3 e por aí vai. Veja a lista completa aqui.

A Adobe disponibiliza o LR 2 por US$ 299 para nova licença e US$ 99 na atualização para quem possui a versão 1.

Links interessantes:

Anúncios

Read Full Post »

capture.tiff

Será realizado entre os dias 10 e 14 de setembro de 2008 o Parati em Foco 2008 – 4. Festival Internacional de Fotografia. Este evento procura apoiar a difundir a cultura fotográfica no Brasil e será realizado durante cinco dias, oferecendo uma programação bem completa, diversos workshops, palestras, projeções e outras exposições espalhadas pela cidade.

Este evento contará com o patrocínio de grandes empresas, como a HP, Kingston, Leica e fnac, e terá a presença de fotógrafos, curadores, editores, críticos e jornalistas. Teremos contato direto e único com o que há de melhor na produção fotográfica nacional e internacional e seus autores, fotógrafos renomados.

Será uma ótima oportunidade para amadores e profissionais trocarem idéias, discutindo novas tendências e trocando experiências. Estarei lá!

Read Full Post »

Quem trabalha com fotografia digital reconhece a importância de boas ferramentas para trabalhar, seja para tratamento em RAW ou JPEG. Além disto, sabe o quanto é custoso importar as imagens e organizá-las de forma a serem facilmente armazenadas, catalogadas e, quando necessário, localizadas rapidamente.

Foi pensando nesta premissa que em 2003 alguns experts da Adobe se reuniram em estúdios de famosos fotógrafos profissionais para acompanhar o dia-a-dia destes caras, e tentar consolidar em uma ferramenta todo o workflow coletado, que suportasse o tratamento de suas fotografias (principalmente RAW) em um fluxo centralizado, fácil e organizado. Neste momento, o Shadowland estava sendo criado, para pouco tempo depois ser renomeado para Adobe Photoshop Lightroom. A versão 1 já mostra uma grande aceitação pela comunidade e vários fotógrafos profissionais já o adotam como gestor de seus workflows.

Consegui a versão 1.4.1, a qual estou testando em paralelo à minha atual ferramenta de workflow, o Aperture 2. O teste foi feito no seguinte equipamento:

– Apple MacBook Intel Core 2 Duo 2GHz
– Conexão externa à minha TV Samsung LCD de 26″
– 4GB RAM
– 250GB SATA 2 Samsung HD

1) Performance: o resultado favorece ao Lightroom, que carrega mais rapidamente que o Aperture, com bibliotecas contendo as mesmas imagens, replicadas. Porém, quem possui uma máquina parruda não vai notar grande diferença. O processo de importação das imagens foi mais ágil no Aperture, mas a geração dos previews foi mais ágil e interferiu menos na performance geral no Lightroom.

2) Interface: o Aperture é muito bonito e bem acabado, mas o ponto aqui também vai para o Lightroom, que possui visões especializadas em cada tarefa a ser executada. A primeira, chamada de Library, fornece uma visão completa para navegar nos folders, collections, quick collections, visualizar metadata, pesquisar fotografias entre muitos outros recursos. A segunda, Develop, como já diz, exibe uma extensa gama de editores para trabalhar nos retoques das fotografias, mas tal gama resume-se ao necessário ao workflow do fotógrafo, de forma prática e organizada. A terceira visão é a Slideshow, que permite criar apresentações das fotografias, dando várias opções de customização de cada slide de fotografias. É simplesmente espetacular! A próxima visão, Print, permite organizar e gerenciar impressões diversas da biblioteca de fotografias, seleções, collections, quick connections entre muitas outras possibilidades. E por último, a visão Web, que permite exportar álbuns digitais em flash, HTML, publicar em blogs, FTP entre muitas outras possibilidades.

3) Organização das fotografias: importar seus álbuns (folders) é um espetáculo nesta ferramenta. Este processo possibilita uma boa variedade de opções, desde importar as fotografias mantendo seus locais originais sem duplicá-las, ou mesmo importar seus álbuns copiando-os ou movendo-os para a biblioteca do Lightroom. Durante este processo, é possível adicionar informações ao metadata dos arquivos importados, função que se mostrou extremamente útil pois permitiu “rotular” os álbuns com informações completas, como informações de copyright, IPTC, informações básicas da fotografia, filtros de rating e flags entre muitas outras possibilidades. O processo de importação em si também é bastante rápido, funcionando como uma fila de tarefas, ou seja, se você der vários comandos de importação ele os executará em lotes. Visualizar as fotografias importadas também é um show a parte! Existem várias possibilidades de visualização: grid, loupe, compare e survey, que permitem controle simplificado e completo dos álbuns. Ordenar, adicionar rankings, flags, editar metadata, tudo está a mão, de forma extramamente organizada, sem precisar dar muitos cliques. Os atalhos também são muito ágeis e facilmente “decoráveis”.

4) Edição: todos os ajustes necessários estão aqui: white balance, grayscale, controles de exposure, recovery, fill light, blacks, brightness, contrast, presence, tone curve, HSL, split toning, lens correction (chromatic aberration 😉 ) e vignetting entre muitos outros. Tá tudo aqui! Agora a pergunta básica: o Lightroom substitui o Photoshop? NÃO, ainda não… pode ser que um dia ele substitua tudo que os fotógrafos recorrem ao Photoshop, condizentes ao workflow, e tragam para dentro do Lightroom. Isto será uma boa, pois a Apple pensou muito nisto em sua versão 2 do Aperture. Resumindo, o Lightroom faz um excelente trabalho, que a dupla Bridge + Photoshop sempre fizeram, de forma simplificada, organizada e produtiva.

Concluindo, vou utilizar as duas ferramentas simultaneamente por mais alguns meses até decidir por qual ficar. O Lightroom me deu a impressão de ser uma ferramenta melhor acabada e possui um futuro muito promissor. Ainda em sua versão 1, já se mostrou possuir grande suporte a formatos RAW (aproximadamente 150) através do Adobe Camera RAW, que está em sua versão 4.4.1. Junto ao Photoshop CS3 se mostra um monstro, dada a facilidade de exportação e importação das imagens editadas, e das possibilidades de guardar facilmente presets e histórico de alterações, tudo totalmente customizado pelo usuário e, o melhor, o acesso a tudo é extremamente fácil.

O Lightroom está em sua versão estável 1.4.1, a qual utilizo aqui em meu MacBook. A versão 2 beta já foi liberada para beta testing, e muita gente está testando. Quando liberar um tempinho vou baixar e testar com uma library beta aqui. Não recomendo utilizar a versão 2 beta em sua library principal… vai saber né?! Prefira o 1.4.1, que está extremamente estável e rápida. Vale cada dólar gasto!

Seguem alguns links interessantes:

Estou lendo e recomendo: The Adobe Photoshop Lightroom Book, de Martin Evening.

Read Full Post »

Estudando algumas técnicas de iluminação em fotografia, capturei uma imagem parecida à que vi no livro. A ilusão é criada a partir de um livro aberto, uma lente circular com borda preta e uma fonte de luz a 45 graus à frente do cenário. O resultado é este:

DSC_0003

Nikon D60, lentes 18-55mm, aperture f/6.3, shutter 1/40, ISO 400

Read Full Post »

Pra constar…

TCC do MBA tá me matando… cérebro fritando, sono atrasado! Cruel… atualmente lendo e pesquisando:

LivroGestaoProjetos.jpg Sinopse: Nesta obra, Kerzner oferece ferramentas para que o leitor entenda por que a área de gerenciamento de projetos vem crescendo. Ele apresenta casos de projetos de sucesso e de fracasso em empresas e instituições do mundo inteiro, retirando lições valiosas desses casos.

Até 27/09 eu fico louco!

Read Full Post »

Feriado básico no meio da semana, acordar cedo, TCC, frio em casa, quente lá fora, indisposição, vontade de ficar na cama com o note e não fazer mais nada… estes são os sintomas chave que antecedem a famosa soneca!

Aos amantes desta arte, segue um guia bem interessante.

How to nap

Vide aqui e aqui.

Read Full Post »