Feeds:
Posts
Comentários

Archive for janeiro \05\UTC 2011

27 de janeiro de 2010 – Apple anuncia o iPad. O mundo geek inteiro, que já referenciava o iPhone, estava acompanhando o esqueleto Steve Jobs anunciar e mostrar o equipamento.

Não deu outra! Sucesso já antes de chegar às lojas. Presumido mesmo…

Penso eu: lá vem outro treco tosco igual ao meu antigo HP tx1070br, que era um “Palmão”, com tela resistiva. Vem aí um iPhonão, todo capadão, que me servirá em 80% do tempo como substituto ao PSP, só pra jogar. Bom, bacana.

Alguns amigos até que tentaram me tentar! Ofertas do tipo “Trago um pra vc dos States, meu… faço um preço bacana!” me tentaram bastante, até meados de junho do ano passado. A tentação mesmo foi quando mudei de área no meu trabalho e lá os caras tinham (ainda têm eheh) dois iPads. Mudei de equipe contente pra cacete, mas bem preocupado com meu bolso, pois sabia o tamanho da tentação que me consumiria… vou acabar comprando um, não tinha jeito! Mas ainda queria um tempo pra avaliar a real utilidade do bichinho… se fosse só pra jogar, nem vira pq tenho tudo que é video game em casa, e não curto ficar jogando no iPhone.

Meses depois, a Apple anuncia a data de comercialização do dito cujo no Brasil. Preços nada tentadores! Testes, testes e mais testes… muitos aplicativos testados, de blocos de notas a poderosas agendas, Pages, Numbers tudo, tudo que existe de bom na categoria produtividade foi testado. Até que um dia entrei em uma loja da Fast Shop, no shopping Eldorado, e criei coragem. O problema naquele momento era o gap entre querer e desejar… queria um iPad, mas desejava um iPad de 64GB, com WiFi e 3G… meu, o desejo foi mais forte, e deu no que deu, e acabei levando pra casa o modelo TOP. Já era… foi… levei!

Um bom tempo depois, já em casa, pude ligar o MEU iPad. Há tempos não sentia o cheiro de um equipamento novo, muito bacana. Instalar os aplicativos do zero, configurar do meu jeito, sensações que dão uma temperada no sabor, que não se experimenta ao testar o iPad de outras pessoas.

Instalei muitos aplicativos de produtividade, alguns jogos, revistas, aplicativos de redes sociais entre outros. Vou detalhar abaixo os que mais utilizo no dia-a-dia, e recomendar outros:

aNote: uma super agenda, muito completa e prática, foi à bandeja já após alguns minutos de uso, pois é muito bacana. Sincroniza com o Google Docs e com o Evernote, ponto positivo. Nota 10!
Flipboard: uma plataforma que agrega conteúdo de algumas redes sociais e vários sites de notícias e conteúdo, e exibe tudo perfeitamente organizado, em formato de revista. Visualizar todo este conteúdo, agrupado e formatado, ficou perfeito neste aplicativo.
Pages e Numbers dispensam comentários, para quem os utiliza no Mac. Para quem não os conhece, são os aplicativos concorrentes do Word e Excel, e fazem parte da suíte iWork, da Apple. Estas versões para o iOS não deixam nada a desejar se comparadas às versões para o OS X, são bem completas e fazem excelente uso do multitouch.
Dropbox: aplicativo de sincronia de arquivos entre vários dispositivos ou equipamentos. Imagine que você possui um notebook, um desktop e um iPad e necessite que sua pasta de documentos pessoais e suas fotos estejam sempre atualizados e em sincronia. Você não precisa realizar cópias manuais ou quaisquer outros métodos tradicionais. O Dropbox simplesmente sincroniza tudo, automaticamente, quando o aplicativo é inicializado e o logon é realizado, em sua conta gratuita até 2GB na nuvem. É possível comprar mais espaço, mas já vi relatos de colegas quew utilizam mais de 10GB e nunca foram cobrados.
SplashID: aplicativo de wallet, armazena e organiza todas as suas senhas, contas etc. Muito prático e sincroniza com sua versão desktop.
Evernote: permite salvar suas idéias, anotações, listas etc. Sincroniza entre versões para desktop, Android e iOS, através da nuvem.
HomeBudget: um mini-Money, organiza minhas finanças, exibindo gráficos dos meus investimentos, conta corrente, categoriza lançamentos entre outra muita funções. Muito bom!
iBooks: uma prateleira digital, organiza seus livros comprados ou transferidos pelo iTunes, PDFs entre outros. A interface é ótima, tornando a leitura dos livros uma atividade bem prazerosa.
Kindle for iPad: a prateleira digital da Amazon.com, permite comprar, baixar e visualizar livros adquiridos do seu famoso site. Como no iBooks, a visualização dos livros é excelente e sua interface é ótima. Comprei vários livros pelo Amazon.com, tudo feito rapidamente e a qualidade das publicações é excelente, o que já vale na economia de espaço físico no AP e poupar árvores!
Revistas ISTOÉ Dinheiro, Exame, Viaje Mais e Fotografe Melhor, com suas prateleiras digitais, também permitem a compra e visualização das revistas.

Para os que gostam de viajar (quem não gosta de viajar?):
Booking.com para pesquisa e reservas de hotéis, pousadas, alvergues etc.
TripAdvisor para dicas de locais, hotéis, pousadas, restaurantes etc.
Wikihood dá dicas do que encontrar nas redondezas de um determinado local, ou da sua atual posição.

Bem, tem muita coisa, poderia perder muito tempo citando vários aplicativos ou jogos, mas o assunto continua.

Pontos positivos do iPad:
– O material é excelente. A tela é bem resistente a manchas e riscos, pode ser limpa facilmente com uma flanela ou um tecido próprio para limpeza de superfícies como vidro ou cristais.
– As funções touch e multi são, de longe, as melhores, aliadas à excelente tela de 9″. Este conjunto te leva a perder horas no Google Maps e no Street View, só babando!
– A quantidade de memória é suficiente (minha versão de 64GB), para o meu uso de produtividade pessoal, textos, planilhas, ler livros, revista, navegar e alguns jogos. Não ouço músicas nem carrego muitos vídeos, inclusive só sincronizei os desenhos da Caverna da Dilma do Dragão heeheh e o filme Bram Stoker’s Dracula.
– O poder de processamento do A4, processador do iPad, é mais que o suficiente, pois o iOS está muito enxuto, explorando toda a capacidade do conjunto. Os aplicativos carregam muito rapidamente, os vídeos são fluídos e com alta qualidade. Alguns jogos exigentes rodaram maravilhosamente bem, como o Infinity Blade, o SimCity HD e o Need for Speed: Hot Pursuit.

Pontos que poderiam ser melhorados:
– O peso, que é bem acima do aceitável para manuseá-lo confortavelmente, ler ou jogar.
– Uma câmera para vídeo conferência na parte frontal do equipamento. Creio que isto virá na próxima versão do iPad, pois o Facetime e a nova versão do Skype estão bombando.
– Implementar uma tela que permita melhores recursos para leitura prolongada e que seja menos reflexiva. Isto é mais complicado, pois teria que ser algo parecido com o Kindle, com e-Ink, para que fique realmente confortável.

O iPad, em seu primeiro ano de vida, já é um inegável sucesso. Muito do que é publicado como conteúdo já possui uma versão para iPad, seja uma revista, jornal ou mesmo um site adaptado. Tudo que se planeja para plataformas móveis tem foco na Apple, impressionante. Android está atrás, mas o que me deixa chateado é a segmentação de versões, customizações e demora no lançamento de atualizações. A simplicidade e padronização é chave neste mundo, cada vez mais dinâmico e sedento por novidades tecnológicas, e neste ponto a Apple acertou com os dispositivos com iOS. Simplicidade esta que garante robustez e poder, basta ver a qualidade dos lançamentos para esta plataforma. Alguns jogos estão pau-a-pau com versões para PSP e, porque não, consoles de mesa, como o PS2.

Além disto, ficar conectado 100% do tempo a uma rede sem fio ou 3G é um benefício astronômico quando se está com um equipamento destes. Imagine entrar em uma livraria e sair catalogando os livros desejados e compartilhar com os amigos no Facebook. Ou ficar preso no trânsito, naquela baita chuva, nada anda, e abrir o Safari para navegar naquele seu site de notícias favorito, ver que você está em uma via que está com pontos de alagamento e imediatamente buscar alternativas pelo site de engenharia de tráfego. Muitas possibilidades.

Já me rendi ao iPad, que me impressionou após muitos testes… sempre fiquei com um pé atrás, pois não apostava que a plataforma daria tão certo no assunto produtividade. Sempre enxerguei aquela tela como um potencial à jogatina, principalmente, então acabei criando esta barreira. Mas as coisas se acertaram e hoje só vejo benefícios em tê-lo, e não me arrependo de ter pago caro, pois o prazer e os benefícios se sobressaíram. Em maio farei uma viagem aos EUA com minha esposa e, se o iPad 2 já tiver sido lançado, trarei um também eheh.

Read Full Post »